Vaticano prega a paz no Natal

O Vaticano expressou esperanças de que o Natal inspire nas pessoas o desejo de trabalhar pela paz, ao mesmo tempo em que tentava mediar a disputa entre israelenses e palestinos sobre o acesso a Belém, a terra de Jesus.Horas antes do papa João Paulo II celebrar a Missa do Galo na Basílica de São Pedro, milhares de turistas, sob um chuva gélida contemplavam um presépio de tamanho natural e uma grande árvore de Natal. Os guardas revistavam os pretences dos peregrinos como medida de segurança contra atentados terroristas.Desde os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos, a imprensa italiana sustenta que o Vaticano, e em particular a Praça de São Pedro quando está lotada de turistas, poderia ser um foco de ataques terroristas.As tensões e conflitos no Oriente Médio geraram um estado de ânimo sombrio ao aproximar-se o Natal e a missa papal. O porta-voz Joaquín Navarro-Valls disse que a Santa Sede havia dado um ?passo diplomático? para impedir a proibição ?arbitrária? de Yasser Arafat na missa de Natal em Belém. Israel disse que somente permitiria a viagem de Arafat se ele detivesse os assassinos de um ministro do gabinete israelense.L?Observatore Romano, o jornal oficial do Vaticano, publicou em sua primeira página um título que pede: ?Paz na Terra Santa. Paz no Mundo?.Em um comunicado, o porta-voz Navarro-Valls expressou esperanças de que as festividades do Natal despertem nas pessoas desejos de trabalhar pela paz no mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.