Vaticano prende homem com documentos confidenciais

O Vaticano informou hoje que prendeu um homem que estava em posse de documentos secretos, enquanto busca reprimir o escândalo chamado de "VatiLeaks", que surgiu no início deste ano com a publicação de memorandos alegando corrupção e má administração nos assuntos da Santa Sé e disputas internas sobre os esforços para cumprir normas contra a lavagem de dinheiro. O Vaticano viu informações confidenciais sendo passadas para a mídia italiana.

AE, Agência Estado

25 Maio 2012 | 11h28

"A apuração realizada pela polícia do Vaticano permitiu à corporação identificar uma pessoa em posse de documentos confidenciais. Essa pessa está sendo questionada", disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, que não forneceu detalhes sobre a identidade do suspeito, qual trabalho ele desempenhava ou quando foi preso.

No entanto, segundo o jornal Il Foglio, o homem preso é o mordomo do papa. O diário afirmou que o suspeito deve ser usado pelo Vaticano como um "bode expiatório conveniente" para diversos outros envolvidos com o vazamento de documentos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.