Vazamento de petróleo no Golfo pode ser 10 vezes maior

Um representante da Casa Branca informou que o presidente dos EUA, Barack Obama, irá ao Golfo do México dentro de 48 horas. A enorme mancha de óleo na região, resultado da explosão de uma plataforma de petróleo da BP na semana passada, já chegou à costa norte-americana.

AE, Agência Estado

01 Maio 2010 | 10h00

A Casa Branca tem tentado mostrar que o mais alto nível do governo está engajado na crise do Golfo e evitar quaisquer comparações com a lenta resposta do predecessor de Obama, George W. Bush, ao furacão Katrina em 2005.

Em círculos de cientistas, teme-se que o vazamento saia totalmente do controle e cresça em magnitude, podendo tornar-se até dez vezes maior do que os 5 mil barris por dia que jorram atualmente. Citando um relatório confidencial da Administração Atmosférica e Oceânica Nacional (NOAA, na sigla em inglês) sobre o desastre, o jornal Mobile Press-Register, do Alabama, informa que dois pontos de vazamento adicionais foram encontrados no duto defeituoso.

"Se o duto deteriorar-se mais, o fluxo pode sair do controle, resultando num volume de derramamento de magnitude superior à inicialmente prevista", disse o jornal. A uma pergunta sobre o documento, o porta-voz da NOAA Scott Smullen disse que os vazamentos adicionais foram reportados ao público na quarta-feira à tarde, informa o Press-Register.

Quanto à possibilidade de que o derramamento se torne maior, Smullen disse que iria "deixar o documento falar por si". As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Obama petróleo vazamento quantidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.