Vazamento fecha 2.200 praias no Golfo do México

As praias do Golfo do México da Louisiana à Flórida estão fechadas ou com avisos de advertência com frequência quase dez vezes maior neste verão na comparação com o anterior, por causa do vazamento de petróleo de um poço da British Petroleum (BP), segundo um relatório divulgado hoje, por um grupo ambientalista nacional.

AE-AP, COM DOW JONES, Agência Estado

28 de julho de 2010 | 19h33

O vazamento completa 100 dias hoje. Embora muitas praias tenham sido poupadas, mais de 2.200 foram ou continuam fechadas, e foram emitidos alertas pelas autoridades locais e estaduais para que o público evite os locais atingidos pelo acidente.

No mesmo período do ano passado, 237 praias ficaram fechadas por causa das bactérias e do risco dos banhistas contraírem virose nos locais, informou o Conselho de Defesa das Reservas Naturais (NRDC, na sigla em inglês).

Indenização

A BP anunciou que fará em agosto pelo menos US$ 60 milhões em pagamentos adiantados a trabalhadores da região do Golfo do México que perderam suas fontes de renda em função do vazamento de petróleo iniciado em 20 de abril.

A empresa já pagou US$ 256 milhões até o momento, dos quais US$ 30 milhões na semana passada. A companhia recebeu 133 mil queixas e fez mais de 83 mil pagamentos desde que começou a oferecer as indenizações, em maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.