Vázquez pensa denunciar Argentina na OEA por cortes de rotas

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, estuda a possibilidade de denunciar a Argentina à Organização dos Estados Americanos (OEA) pelos bloqueios das pontes que unem os dois países, anunciaram nesta terça-feira fontes oficiais.A vice-chanceler uruguaia, Belela Herrera, afirmou que o presidente colocou essa possibilidade no Conselho de Ministros, realizado na segunda-feira, sem especificar os argumentos da reivindicação nem quando ela seria apresentada.Há mais de dois meses, moradores e ecologistas da margem argentina do rio Uruguai protestam contra a construção de duas fábricas de celulose na margem uruguaia do rio. Os manifestantes estão impedindo o acesso a estradas e pontes que levam ao Uruguai. Eles alegam que essas indústrias atualmente em construção serão "altamente poluentes".O Governo argentino, porém, não impediu a interdição das ligações com o país vizinho, por isso o presidente do Uruguai acha que a Argentina deve ser denunciada à OEA.A ministra disse que Vázquez não deu detalhes de quando a denúncia seria apresentada nem quais argumentos seriam utilizados. "Não explicitou muito os argumentos, só os colocou", afirmou.Belela explicou que o presidente "está preocupado" e confirmou que não tinham recebido nenhuma resposta à carta que Vázquez enviou ao presidente argentino, Néstor Kirchner, na semana passada. Na carta, o presidente uruguaio pedia para que Kirchner impedisse as interdições não só em sua qualidade de governante mas como presidente pró tempore do Mercosul.As fábricas da finlandesa Botnia e da espanhola Ence próximas à cidade de Frei Bento implicam em investimentos no valor de US$ 1,8 bilhão, o mais alto já recebido pelo Uruguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.