Reuters
Reuters

Veículos de imprensa da Grécia iniciam greve de 24 horas para protestar contra demissões

Ação faz parte da greve geral convocada para quinta-feira pelos principais sindicatos do país; jornais, rádios e emissoras de TV optaram por antecipar seu protesto para poder informar sobre o protesto

O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2016 | 08h41

ATENAS - Os veículos de imprensa da Grécia começaram na manhã desta quarta-feira, 7, uma greve de 24 horas para protestar contra as demissões e corte dos direitos trabalhistas. O ato faz parte da greve geral convocada para quinta-feira pelos principais sindicatos do país, a terceira realizada neste ano.

Jornais, rádios e emissoras de televisão optaram por antecipar seu protesto para poder informar sobre o curso da greve.

Desde às 6h da manhã e durante as próximas 24 horas, os portais de notícias, emissoras de TV e rádios deixaram de divulgar informações, enquanto os jornais não circularão na quinta-feira.

A greve ocorre em um período em que o governo do primeiro-ministro grego Alexis Tsipras e representantes dos credores negociam uma reforma trabalhista crucial para concluir a avaliação do pacote de resgate do país com pontos de vista completamente opostos.

O governo quer restaurar os convênios coletivos, eliminados em 2012 dentro do pacote de resgate da Grécia, e cujo restabelecimento foi uma das principais promessas de Tsipras nas eleições de 2015.

Além disso, a Grécia não aceita as exigências dos credores de liberar as demissões coletivas e a restrição do direito à greve.

As instituições credoras, por sua vez, rejeitam o restabelecimento dos convênios coletivos até que termine o atual programa de resgate do país. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Greve Protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.