Veja as implicações da vitória do Hamas

A decisiva vitória do Hamas nas eleições palestinas abala o Oriente Médio. Veja aqui o significado da vitória do Hamas para as relações israelenses-palestinas, pacificação do Oriente Médio e políticas palestinas.P: Como o Hamas conseguiu essa reviravolta? R: O Hamas focou sua campanha nos problemas internos da Autoridade Nacional Palestina (ANP), prometendo melhores serviços públicos, honestidade no governo e um fim para a falta de justiça. Também explorou o descontentamento público com escândalos de corrupção na Fatah, partido que dominava a política palestina há quatro décadas. E reiterou o seu compromisso de "resistência" contra Israel.P: O líder palestino, Mahmoud Abbas, precisava abdicar da presidência? R: Não. Abbas foi eleito no ano passado para um governo de quatro anos. Entretanto, agora ele teria de trabalhar com um Gabinete e legislatura dominada pelo Hamas. Abbas, sendo do Fatah, não teria como solidificar uma maioria de votos no parlamento. Com a saída de Abbas, os palestinos terão de eleger um novo presidente. P: Esse é o final do processo de paz na região? R: O Hamas, que tem promovido vários ataques suicidas e diz que se mantém fiel ao seu objetivo de destruir Israel. Mas avisou que deixará Abbas continuar com as negociações com Israel enquanto o partido se foca em sua agenda doméstica. O líder do Hamas, Mahmoud Zahar, disse nesta quinta-feira que o grupo está preparado para continuar com o cessar fogo que já dura um ano caso Israel se comprometa com a trégua. O Hamas não fez nenhum ataque desde então.P: A Fatah irá compor um governo de coalizão com o Hamas? R: O partido ainda não se decidiu. Membros antigos disseram nesta quinta-feira que preferem permanecer na oposição. Segundo eles, isso dará tempo ao Fatah para se reconstruir, e forçará o Hamas a ver o quanto é difícil comandar um governo.P: Israel negociará com o Hamas? R: Os israelenses dizem que não negociarão com o grupo até que ele se desarme e renuncie ao seu objetivo de destruir Israel. O país espera fazer um acordo de paz com os palestinos, mas diz que fará mais movimentos unilaterais, como sua retirada da Faixa de Gaza, se concluir que não possui parceiros palestinos.P: O Hamas se desarmará como foi requisitado pelos EUA para manter sua agenda de paz? R: Durante a campanha, autoridades do Hamas disseram que não se desarmarão. Após a vitória desta quinta-feira, alguns líderes disseram que o grupo irá fundir sua ala militar com a força de segurança nacional palestina.P: Qual é o futuro das forças de segurança palestina? R: O Hamas sempre teve uma relação cheia de tensões com as forças de segurança dominadas pela Fatah, que estava envolvido com vários conflitos contra as forças do Hamas na última década. Com o próximo primeiro-ministro sendo indicado pelo Hamas, o grupo poderá usar os dois grupos em suas forças armadas. Mas o Hamas já avisou que as forças da Fatah não têm nada a temer.P: O Hamas transformará a Cisjordânia em um estado islâmico? R: O Hamas diz que não tem planos de criar uma teocracia ao estilo iraniano, ou interferir no dia-a-dia das pessoas. Ao invés disso dará exemplos, encorajando as pessoas a respeitar os costumes islâmicos como a evitar bebidas alcoólicas e as mulheres serem mais recatadas em suas vestimentas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.