Veja os principais pontos do discurso de Powell

O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, apresentou nesta tarde, perante o Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), uma série de evidências segundo as quais o regime de Saddam Hussein estaria agindo para enganar os inspetores enviados ao Iraque para checar o arsenal iraquiano de armas de destruição em massa. Abaixo, os principais pontos da apresentação de Powell:- Powell disse: "O ônus é do Iraque, obedecer e desarmar-se. Inspetores são inspetores, não detetives." Para ele, os fatos e o comportamento iraquiano indicam que o Iraque não está fazendo esforços para desarmar-se.- Powell apresentou uma comunicação interceptada de uma conversação entre um coronel iraquiano e um general. Na interceptação, segundo Powell, um dos oficiais diz: "Nós retiramos tudo. Não esquecemos de nada."- Powell disse que os esforços para esconder coisas dos inspetores não foram isolados, mas parte de uma política determinada pela alta cúpula do regime iraquiano. "Saddam Hussein e seu regime estão fazendo o possível para garantir que os inspetores não encontrarão nada."- Ele disse que ordens dadas pelas autoridades iraquianas determinavam que fossem escondidas todas as comunicações entre os membros do governo responsáveis pelo programa de armas. Ele disse também que altos funcionários iraquianos esconderam documentos procurados em suas casas, ou os transportaram em seus carros para outros locais, para que não fossem descobertos.- Powell apresentou uma imagem de satélite (com indicações explicativas) de um armazém de armas, que teria armas químicas. Ele também mostrou fotos do que disse ser uma instalação de mísseis balísticos, tiradas dois dias antes da chegada dos inspetores de armas.- Powell disse que aviões de reconhecimento americanos U-2 poderiam ter revelado mudanças nos locais suspeitos, e por isso a recusa do Iraque em permitir tais vôos é uma violação indireta da resolução 1441 do Conselho de Segurança, que exige a cooperação do Iraque com os inspetores.- Powell insistiu que o Iraque manteve um "ativo e sistemático" esforço para desafiar a ONU. "Acredito que o Iraque está agora em nova violação material de suas obrigações. Acredito que essa conclusão é irrefutável e inegável. O Iraque colocou-se sob a ameaça de sérias conseqüências."- Ele disse que cientistas foram orientados por Saddam para que se recusassem a ser interrogados fora do Iraque - em uma transgressão à resolução da ONU. Saddam ameaçou de morte os cientistas iraquianos caso dessem informações aos inspetores da ONU, disse Powell, acrescentando que os cientistas também foram orientados sobre como enganar os inspetores.- Powell disse que os iraquianos fracassaram em prestar contas sobre materiais biológicos e químicos que eles possuíam, de acordo com as inspeções anteriores que terminaram em 1995. Powell disse que a inteligência americana tem testemunhos sobre o programa de armas biológicas do Iraque. Bagdá tem habilidade para produzir o vírus da varíola como arma biológica, disse Powell. Ele mostrou diagramas de supostas fábricas móveis de armas. Powell disse que as instalações são sofisticadas e podem produzir agentes como o antraz. Powell disse também que há grandes quantidades de produtos químicos desaparecidas. "Temos evidências de que essas armas existiram, mas não temos evidências de que elas tenham sido destruídas ou como estão agora."- Powell mostrou uma comunicação interceptada na qual um oficial dizia a outro para remover a expressão "gás dos nervos" de todas as instruções por meio de celular ou rádio. Powell também mostrou fotos do que, segundo ele, era uma instalação de armas químicas, com setas apontando para áreas de terra remexida. Ele disse que isso era uma evidência de que os iraquianos removeram crostas de terra da área para eliminar evidências dos longos anos de fabricação de armas químicas. Powell também alegou que as autoridades iraquianas fizeram testes em pessoas e disse que, segundo uma fonte, 1.600 presos foram transferidos para unidades especiais onde tais experiências eram realizadas. Autópsias foram realizadas mais tarde, para checar os resultados.- Powell disse haver mais de uma década de provas de que "Saddam Hussein está determinado a possuir a bomba nuclear". Ele declarou que o Iraque já possui dois dos três componentes necessários para produzir a bomba nuclear e está tentando adquirir material físsil necessário para uma explosão. Os EUA estimam que o Iraque tem entre 100 e 500 toneladas de agentes de armas químicas. Powell disse que o Iraque tem programas para produzir mísseis balísticos que podem chegar a mais de 1.200 quilômetros. Segundo ele, tais mísseis não são para autodefesa, mas para transportar armas químicas, biológicas e - ?se deixarmos? - ogivas nucleares.- Powell disse que sua preocupação não era apenas sobre as armas proibidas, mas com o fato de que elas podem ser usadas por terroristas em todo o mundo. Segundo ele, não é nenhum segredo que agentes de Saddam estiveram envolvidos em tentativas de assassinato nos anos 90.- Powell disse que o Iraque "refugia" um grupo terrorista liderado por Abu Musab Zarqawi, ligado à rede Al-Qaeda. O grupo ajudou a estabelecer outro campo de treinamento no noroeste do Iraque. Powell mostrou uma foto que seria desse campo. Ele disse que Zarqawi estava ensinando como produzir a toxina letal ricina, e outros venenos, no campo.- Powell disse que Bagdá enviou dinheiro para as famílias dos homens-bomba palestinos. - O secretário de Estado declarou que alguns membros da Al-Qaeda estão atuando em áreas do norte do Iraque. E apesar de eles estarem em áreas curdas, fora do controle direto de Bagdá, haveria agentes iraquianos trabalhando com esses grupos. Ele mostrou fotos de alguns membros da Al-Qaeda ligados a uma rede que atua no norte da África, Europa e na ex-União Soviética, incluindo Geórgia e Chechênia. Ele declarou que a Al-Qaeda e agentes iraquianos começaram a relacionar-se no início dos anos 90.- Segundo Powell, membros da Al-Qaeda detidos disseram que Saddam ficou mais interessado em colaborar com a rede extremista após os atentados de 1998 contra as embaixadas dos EUA na Tanzânia e no Quênia. Iraquianos visitaram Osama bin Laden no Afeganistão e treinaram membros da Al-Qaeda. Powell declarou que o Iraque manteve contatos com a Al-Qaeda usando sua embaixada no Paquistão como um "escritório de ligação".- Powell disse que, por mais de 30 anos, Saddam tem perseguido sua ambição de dominar por meio da intimidação. Ele declarou que os EUA não podem correr o risco de deixá-lo no poder, por causa do povo americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.