AFP PHOTO / Justin TALLIS
AFP PHOTO / Justin TALLIS

Venda de revestimento usado em prédio incendiado em Londres é suspensa

De acordo com a empresa americana Arconic, o Reynobond PE - apontado como culpado pela rápida propagação do incêndio da Torre Grenfell - não será mais utilizado em obras de arranha-céus

O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2017 | 14h32

LONDRES - A empresa americana que fabrica o revestimento apontado como culpado pela rápida propagação do incêndio da Torre Grenfell, de Londres, deixará de fornecê-lo para obras em arranha-céus, segundo anunciou feito nesta segunda-feira, 26.

"A Arconic vai parar a venda em todo o mundo do Reynobond PE para uso em edifícios altos", anunciou a empresa em um comunicado, duas semanas depois da tragédia que deixou ao menos 79 mortos no prédio habitacional de Londres.

A notícia coincide com o anúncio das autoridades britânicas de que revestimentos de 60 edifícios habitacionais administrados pelo setor público inspecionados com urgência após a tragédia são inflamáveis.

"100% dos edifícios não foram aprovados", declarou um porta-voz do Departamento de Comunidades e Governos Locais. "Todos os proprietários e serviços de bombeiros e resgate das autoridades locais foram alertados sobre os resultados e estamos em contato com todos eles para dar apoio e monitorar as medidas que serão adotadas", afirmou no domingo Sajid Javid.

O resultado não é uma surpresa, disse a fonte, porque as inspeções "se concentraram nos edifícios de alto risco".

O governo ordenou às autoridades municipais uma inspeção de todos os blocos de apartamentos depois do incêndio da Torre Grenfell, na madrugada de 13 para 14 de junho. A rápida propagação das chamas foi atribuída ao revestimento inflamável, colocado no prédio durante uma reforma em 2016 como isolante e para embelezar a fachada. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Grenfell Tower [Londres]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.