Vendedores são proibidos de usar alto-falantes em Pequim

A habitual e ruidosa prática dos vendedores chineses de anunciar seus produtos através de alto-falantes foi proibida em Pequim a fim de reduzir a poluição sonora. A medida aparece em uma normativa municipal que visa um pouco de silêncio na cidade, que sofre com o intenso ruído das construções (especialmente para os Jogos Olímpicos), que funcionam até mesmo durante o período da noite. A partir de agora, as "obras ruidosas" deverão parar às 22h e não poderão ser retomadas até as 8h, para evitar a interrupção do sono dos pequineses. "Um sono tranqüilo não deveria ser um luxo para os residentes", disse um porta-voz do Governo municipal. As empresas construtoras que violarem a normativa serão multadas em US$ 25 mil, enquanto os vendedores que não abandonarem seus alto-falantes terão de pagar até US$ 6.250. Segundo dados oficiais, quase a metade das queixas ambientai da cidade está relacionada ao barulho das obras, dos alto-falantes dos vendedores, e das reformas privadas de casas, que não respeitam horários ou feriados.

Agencia Estado,

20 Novembro 2006 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.