Venezuela acusa EUA de tentar 'criminalizar' Chávez

A Venezuela acusou ontem os Estados Unidos de tentar "criminalizar" o governo do presidente Hugo Chávez. O embaixador venezuelano em Washington, Bernardo Alvarez, disse que há um esforço das autoridades norte-americanas para encorajar a oposição a tentar derrubar Chávez. Ele comentou um relatório do diretor de inteligência norte-americano, Danis Blair, enviado nesta semana a senadores dos EUA. O texto descreve o líder bolivariano como um autocrata, que reprime a oposição.

AE-AP, Agencia Estado

05 de fevereiro de 2010 | 10h47

Em uma carta enviada à presidente do Comitê de Inteligência do Senado, Dianne Feinstein, Alvarez rebateu o relatório, qualificando-o como "cheio de acusações politicamente motivadas e cínicas". O embaixador afirmou que há uma campanha dos EUA para "criminalizar nosso governo e encorajar grupos dentro da oposição da Venezuela para buscar formas não democráticas de tomar o poder".

Funcionários norte-americanos negaram repetidamente que apoiariam qualquer tentativa de retirar Chávez do poder com um golpe. Os oposicionistas venezuelanos afirmam também que desejam vencer Chávez apenas nas urnas. Chávez nega com veemência as críticas de que seu governo esteja reprimindo e intimidando a oposição.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaEUAacusaçãogolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.