Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Venezuela ajudará Nicarágua com US$ 430 milhões

Um programa de cooperação acertado neste sábado, 10, permitirá à Nicarágua receber US$ 430 milhões da Venezuela neste ano e no próximo, informou o ministro de Agricultura e Terra venezuelano, Elías Jaua.O ministro venezuelano revelou o número no encerramento dostrabalhos da primeira comissão mista intergovernamental para aprofundar os convênios assinados dia 11 de janeiro, em Manágua.Jaua resumiu a longa lista da ajuda venezuelana em US$ 430milhões. Serão US$ 340 milhões em petróleo e outras formas de resolver a crise energética nicaragüense.Os outros US$ 90 milhões servirão para diversos programas de saúde, educação, exportações, desenvolvimento da agricultura e estudos na produção de energia elétrica.Perdão de dívidaJaua confirmou que a Venezuela perdoará uma dívida de US$ 22 milhões. Em breve, acrescentou, começarão os estudos para a construção de uma refinaria com um investimento de US$ 2,5 bilhões num prazo de quatro anos, para refinar 150 mil barris de petróleo diários.O Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (Bandes) vai abrir escritórios em Manágua, com um crédito de US$ 10 milhões para garantir a gratuidade da saúde e educação dos nicaragüenses. Mais US$ 10 milhões vão financiar a agricultura.Além disso, a Venezuela vai enviar quatro lotes de remédiosgenéricos, num valor de US$ 2 milhões. O ministro acrescentou a doação de remédios para atender a 400 pacientes de aids.Ele explicou que a Venezuela já entregou à Nicarágua 80 milbarris de diesel e 9.600 de gasolina, 18 mil toneladas de uréia e em janeiro doou 20 tratores a cooperativas do país.O ministro venezuelano disse que na primeira reunião da comissão mista foi acertada a instalação de novas usinas elétricas para produzir 60 megawatts, a fim de cobrir o déficit energético da Nicarágua, de 120 megawatts. O investimento é de US$ 50 milhões.Como parte do acordo, a Venezuela comprará da Nicarágua 2.500 toneladas de feijão preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.