Venezuela anuncia reforço de segurança na fronteira com Colômbia

Governo do estado e do país trocam acusações pelo aumento da violência no estado de Táchira

Efe,

23 de agosto de 2010 | 23h35

CARACAS- O ministro venezuelano de Defesa, Carlos Mata, anunciou nesta segunda-feira, 23, que serão mobilizados nos próximos dias contingentes militares e do serviço de inteligência ao estado de Táchira, fronteiriço com a Colômbia, como parte de um plano para reforçar a segurança na região.

 

Veja também:

linkTaxa de homicídios da Venezuela é maior que a do Iraque, diz jornal

 

"Vamos intensificar e fortalecer a segurança, nos próximos dias vamos mobilizar o Exército, junto a nossa Guarda Nacional e o (serviço de inteligência) Sebin nas ruas", disse Mata à televisão estatal.

 

Os três organismos farão trabalhos de "patrulhas na rua, para combater os focos de insegurança no estado", e vão combater a criminalidade "sem violar os direitos humanos, como deve ser", acrescentou o ministro.

 

"Com o plano que vamos fazer, sairemos vitoriosos e conseguiremos abaixar as cifras" de insegurança em Táchira, disse Mata, sem dar mais detalhes.

 

Crimes como sequestro, extorsão, assassinato e tráfico de drogas são comuns no estado fronteiriço. O governo acusa o governador, o oposicionista César Pérez Vivas, de apoiar grupos paramilitares colombianos que causariam violência na região.

 

Pérez, por sua vez, denuncia que a violência é responsabilidade do Executivo do presidente Hugo Chávez, que segundo o governador, "apoia" as guerrilhas colombianas que "entram e saem" do país.

 

Venezuela e Colômbia fizeram na última sexta um roteiro para consolidar sua recém-restabelecida relação bilateral e avançar na cooperação em diversos campos, entre eles o comércio, segurança, e desenvolvimento social em sua zona comum, de 2.219 km de extensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.