Venezuela atuará com prudência, afirma chanceler

A intermediação de Hugo Chávez em negociações entre o governo colombiano e as Farc será conduzida de forma "prudente e cuidadosa", afirmou ontem em Brasília ao "Estado" o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro. Caracas ainda espera que as Farc apresentem sua posição. Maduro negou versões de que um dos líderes da guerrilha, Raúl Reyes, teria enviado uma carta com demandas a Chávez. Segundo o chanceler, Chávez deverá receber qualquer manifestação das Farc por meio da senadora Piedad Córdoba, designada pelo governo colombiano a mediadora das negociações. "De acordo com as respostas que recebermos das Farc, faremos o plano de negociação. Temos de caminhar com muito cuidado para que o processo não fracasse." O chanceler colombiano, Fernando Araújo, disse ao "Estado" que Bogotá vê com boa vontade a possibilidade de as conversas se darem na Venezuela. Mas acrescentou: "A oferta das Farc ainda está sob o tapete. Elas tendem a ser intransigentes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.