Venezuela condena 2 por bomba na Embaixada dos EUA

Uma corte venezuelana sentenciou ontem dois homens a dez anos de prisão por colocarem bombas nas proximidades da embaixada norte-americana em Caracas, há dois anos. O ex-estudante universitário José Miguel Rojas Espinosa foi condenado por "terrorismo e instigação para cometer crimes". Já Teodoro Rafael Darnott foi considerado culpado por encorajá-lo, ao fornecer instruções para a fabricação de bombas pela internet. Segundo as autoridades, as bombas estavam programadas para explodir e lançar filipetas aludindo ao grupo militante islâmico Hezbollah. Ninguém ficou ferido no incidente, ocorrido em 23 de outubro de 2006, ano em que o Hezbollah e Israel travaram uma guerra no Líbano. O Hezbollah afirma que não mantém operações fora de sua região e que sua luta é contra Israel, no Líbano e ao longo da fronteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.