Venezuela condena prefeito de San Diego a prisão

O Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela julgou a favor da prisão e da destituição do prefeito opositor do município de San Diego. Enzo Scarano foi declarado culpado por desrespeitar uma medida cautelar que o obrigava a evitar o bloqueio de ruas durante os protestos de mais de um mês contra o presidente Nicolás Maduro.

AE, Agência Estado

20 de março de 2014 | 03h37

A Sala Constitucional da instância máxima da Justiça do país também condenou o diretor da polícia municipal, Salvatore Lucchese Scaletta. Os dois terão que cumprir 10 meses e 15 dias de prisão e ficarão detidos na sede do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) até que um juiz de primeira instância determine um local definitivo.

O prefeito do município de El Hatillo, David Smolansky, se manifestou contra a decisão no Twitter. "Convidamos vocês a se mobilizarem amanhã em todo o país, às 10h (horário local), para rejeitar a perseguição política e judicial a prefeitos e dirigentes da Unidad [coligação de oposição ao governo]", escreveu.

O tribunal máximo da Venezuela anunciou na semana passada uma medida cautelar na qual ordenou a prefeitos opositores dos municípios de Baruta e El Hatillo a "realizarem as ações e utilizarem todos os recursos materiais e humanos necessários para evitar que se coloquem obstáculos nas vias públicas que impeçam o livre trânsito de pessoas e veículos".

Na segunda-feira a medida foi estendida aos prefeitos de Maracaibo, Diego Bautista Urbaneja e de San Cristóbal, cujo prefeito também foi preso hoje. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelaprefeitoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.