Venezuela corta relações com diplomata americana

Chanceler venezuelano rompe comunicação com responsável por retomada de relação bilateral após entrevista

CARACAS, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2013 | 02h06

O governo da Venezuela anunciou ontem a suspensão dos canais de comunicação com a principal diplomata do departamento de Estado americano para a América Latina. Segundo o ministro das Relações Exteriores Elías Jaua, Caracas não dialoga mais com a subsecretária de Estado para o Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobsen, em razão de declarações dela sobre o sistema eleitoral venezuelano.

Jaua ressaltou, no entanto, que as relações diplomáticas entre os dois países estão mantidas. No dia da morte do presidente Hugo Chávez, no começo do mês, o presidente em exercício Nicolás Maduro expulsou dois adidos militares americanos acusados de "tramarem um golpe" no país. Em retaliação, dias depois, dois adidos venezuelanos foram expulsos de Washington.

"Todos os contatos estão suspensos. Roberta Jacobsen, quando a senhora entender que a Venezuela é um país soberano telefone novamente", disse Jaua.

Na semana passada, a diplomata, responsável por tentar reconstruir os laços bilaterais entre os dois países, estremecidos ao longo do governo de Chávez, deu uma entrevista ao jornal espanhol El País na qual ela disse que a Venezuela merece eleições livres e justas, além de uma imprensa livre.

"Tomara que haja uma retificação por parte do governo americano", acrescentou Jaua.

Câmbio. A oposição venezuelana criticou ontem a criação de um sistema de leilão de dólares no país. Para o candidato da Mesa de Unidade Democrática (MUD) à presidência, Henrique Capriles, a medida é uma tentativa disfarçada de uma nova desvalorização do bolívar. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.