Cherry Dominguez/EFE
Cherry Dominguez/EFE

Venezuela cria equipe para investigar explosão em refinaria que matou 24 pessoas

Representantes do governo afirmaram que acidente foi causado por um vazamento de gás

25 de agosto de 2012 | 14h01

CARACAS - O Ministério Público da Venezuela informou neste sábado que criou uma equipe de especialistas para investigar a explosão ocorrida nesta madrugada no Centro de Refinamento de Paraguaná, um dos maiores do mundo, que causou pelo menos 24 mortes.

Veja também:

linkExplosão em maior refinaria da Venezuela deixa 24 mortos

link Oposição promete eliminar venda facilitada de petróleo venezuelano

Em comunicado, a Procuradoria indicou que uma "equipe de especialistas da Unidade de Criminalística", formada por patologistas, antropólogos legistas e especialistas em acidentes, será coordenada pela diretora da Unidade Técnico Científica desse Ministério, Rocio Gásperi.

O governo venezuelano informou hoje que já são 24 os mortos na explosão ocorrida na refinaria de Amuay, situada na cidade de Punto Fijo (528 quilômetros ao oeste de Caracas).

A explosão foi provocada por um vazamento de gás que gerou uma nuvem que explodiu com uma grande onda expansiva que causou danos estruturais em várias casas dos arredores e em uma instalação da Guarda Nacional.

O ministro do Petróleo e Mineração, Rafael Ramírez, assinalou que a explosão "causou danos severos ao destacamento 45 da Guarda Nacional", um complexo militar com infraestrutura residencial e afetou uma parte da área de tanques.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelapetróleoacidentemortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.