Marco Bello/REUTERS
Marco Bello/REUTERS

Venezuela declara persona non grata líderes latinos que observaram referendo da oposição

Jorge Quiroga (Bolívia), Andrés Pastrana (Colômbia), Laura Chinchilla e Miguel Ángel Rodríguez (Costa Rica) foram proibidos de entrar no país

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2017 | 12h56

CARACAS - O governo da Venezuela declarou personas no gratas os ex-presidentes Jorge Quiroga (Bolívia), Andrés Pastrana (Colômbia), Laura Chinchilla e Miguel Ángel Rodríguez (Costa Rica), observadores do plebiscito simbólico realizado no domingo pela oposição.

Anteriormente, o ex-presidente mexicano Vicente Fox também foi declarado persona non grata por ter atuado como observador na consulta contra o Nicolás Maduro e sua convocação para uma Assembleia Constituinte.

"Não entrarão mais na Venezuela: abusaram da generosidade de nosso povo. É justiça que será entendida pelos que amam seu país", afirmou o chanceler venezuelano Samuel Moncada no Twitter.

Os cinco observadores assinaram um documento no qual pedem aos membros das Nações Unidas e Organização de Estados Americanos (OEA) avaliem os resultados do plebiscito para evitar que a grave crise do país resulte em novas mortes ocorridas em protestos contra Maduro. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.