Venezuela desarticulou golpe elaborado por grupo da Força Aérea, diz Maduro

Venezuela desarticulou golpe elaborado por grupo da Força Aérea, diz Maduro

Presidente venezuelano afirmou que oficiais foram presos e golpe seria financiado pelos EUA

O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2015 | 12h29


CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na noite da quinta-feira 12 que frustrou uma tentativa de golpe por parte de "um grupo de oficiais da Força Aérea", que já foram presos.

"Desarticulamos, frustramos um atentado golpista contra a democracia e a estabilidade de nossa pátria. Foi uma tentativa de usar um grupo de oficiais da Força Aérea para causar um ato violento, um atentado", afirmou Maduro em Caracas.

"Realizamos detenções muito importantes ontem (quarta-feira) durante a noite e na madrugada de hoje (quinta)", informou o presidente, sem especificar nomes ou cargos dos oficiais presos. Segundo ele, "um general da aviação de sobrenome Hernández" estaria envolvido na "conspiração" com mais quatro oficiais.


De acordo com Maduro, a tentativa de golpe consistia em atacar o palácio de Miraflores ou o "lugar em que eu (Maduro) estivesse participando de alguma manifestação" com um avião Tucano. O líder venezuelano acrescentou que o plano seria financiado pelos EUA, partiria de Washington e incluiria atacar outros pontos. "A (rede de TV) Telesur era um deles, o Ministério da Defesa também", afirmou.

Maduro realizou o pronunciamento quando se completou um ano dos protestos contra seu governo que acabaram com 43 mortos. O presidente, assim como fazia Hugo Chávez, fala com frequência em tentativas de golpes de Estado e planos de desestabilização orquestrados pela direita do país em colaboração com setores da direita colombiana e americana. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaNicolás MaduroCaracas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.