REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Venezuela desvaloriza moeda em 64,13% em leilão de dólares

Governo chavista vendeu US$ 23 milhões ao setor privado nesta quarta-feira, 31, principalmente para empresas que importam matérias-primas

O Estado de S.Paulo

31 Maio 2017 | 15h36

CARACAS - O governo venezuelano desvalorizou mais uma vez o bolívar em uma venda de dólares ao setor privado nesta quarta-feira, 31. Desta vez, o Banco Central da Venezuela criou duas bandas cambiais, uma de 2.010 bolívares por dólar e outra de 1.800 para vender US$ 23 milhões ao setor privado - uma desvalorização estimada em 64,13%.

A Venezuela atravessa uma grave escassez de dólares e o governo tem restringido cada vez mais o acesso do setor privado à moeda estrangeira. Como o país é dependente de importações, isso cria escassez de alimentos e produtos básicos e agrava a inflação. 

Segundo o diretor do comitê de liquidação de divisas do Banco Central da Venezuela (BCV), Pedro Maldonado, a venda deve mitigar os efeitos da escassez. "Isso nos dá uma grande satisfação. É um sinal de recuperação econômica", afirmou. 

Ao anunciar o novo sistema de leilão de dólares em abril, Maduro disse que o objetivo era derrotar o "dólar no mercado negro", atualmente avaliado em mais de 6 mil bolívares, uma distorção que o presidente venezuelano atribui a uma "guerra econômica" do setor privado com o objetivo de tirá-lo do poder.

No começo da semana, o governo da Venezuela fechou um acordo de venda de títulos para o banco Goldman Sachs, com o qual conseguiu se capitalizar em US$ 2,9 bi, com um desconto de 69% no valor dos títulos. O tesouro venezuelano tem reservas estimadas em US$ 10 bi, mas grande parte desse volume está em reservas de ouro. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.