REUTERS/Carlos Jasso
REUTERS/Carlos Jasso

Venezuela diz que trabalhadores vão reativar fábrica da Kimberly-Clark

Empresa americana que produz fraldas e lenços de papel fechou no fim de semana por falta de matéria-prima

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2016 | 05h00

CARACAS - O governo da Venezuela disse nesta segunda-feira que vai assumir e reativar uma unidade da fabricante americana de produtos pessoais Kimberly-Clark, que parou sua produção em razão da crise econômica do país. A Kimberly-Clark, que fabrica as fraldas Huggies e os lenços de papel Kleenex, disse no fim de semana que interrompeu suas operações de duas décadas na Venezuela por não conseguir matéria-prima ou moeda forte.

Mas o ministro do Trabalho, Oswaldo Vera, apareceu na fábrica, na cidade de Maracay, cercado por trabalhadores que, segundo ele, foram reiniciar as operações imediatamente. "A Kimberly-Clark vai continuar produzindo, agora nas mãos dos trabalhadores", disse à TV estatal. "Acabamos de ligar a primeira máquina."

Não houve resposta imediata do Kimberly-Clark, e não estava claro como a fábrica continuará produzindo sem matéria-prima suficiente. Após a fabricante americana de produtos de limpeza Clorox deixar a Venezuela em 2014, o governo também anunciou que os trabalhadores assumiriam, mas os produtos da empresa são difíceis de encontrar. / REUTERS

 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.