Venezuela e Colômbia decidem manter fronteira fechada no fim de semana

Nos últimos dois fins de semana, passagens foram abertas temporariamente e mais de 100 mil venezuelanos foram comprar alimentos do lado colombiano

O Estado de S. Paulo

21 Julho 2016 | 16h54

CARACAS - Os governos da Venezuela e da Colômbia concordaram nesta quinta-feira, 21, em não reabrir a fronteira entre os dois países, depois de dois fins de semana consecutivos nos quais milhares de venezuelanos foram ao país vizinho comprar mantimentos. 

No último domingo, 130 mil venezuelanos cruzaram a fronteira nos quatro postos existentes nas divisas entre os dois países. Uma semana antes, esse fluxo foi de 35 mil pessoas. 

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, determinou em agosto do ano passado o fechamento da fronteira como medida para conter o contrabando de gasolina e alimentos. Desde então, a crise econômica na Venezuela, marcada pela escassez e a inflação, se agravou. 

"Em virtude dos riscos de infraestrutura das pontes e das dificuldades que podem ser criadas pela chegada em massa de pessoas, pedimos à comunidade fronteiriça que espere alguns dias para que isso ocorra de modo seguro", informou em nota a chancelaria colombiana após a decisão desta terça. 

Autoridades dos dois países se reuniram em San Cristóbal, na Venezuela, para discutir medidas sobre comércio contrabando, controle migratório e de câmbio. /EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela Colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.