Venezuela esnoba assessoria eleitoral oferecida pelos EUA

A Venezuela rejeitou uma oferta de assessoria técnica feita nesta semana pelo governo americano ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE). O chanceler venezuelano, Roy Chaderton, recusou a oferta com o argumento de que a organização eleitoral da Venezuela é "muito mais moderna e mais confiável" que a dos Estados Unidos.Segundo Chaderton, caso a Venezuela venha a precisar de assessoria, ela será buscada em países onde o sistema eleitoral "funcione de maneira transparente". "Como todos sabemos, a democracia americana sofre de graves falhas em suas regras e organizações eleitorais. Desta forma pensamos que, inclusive, nossa própria metodologia é muito mais moderna e mais confiável", afirmou Charderton em um comunicado à imprensa.O presidente do CNE, Francisco Carrasquero, declarou hoje, ao ser consultado sobre a oferta, feita pelo embaixador dos EUA em Caracas, Charles Shapiro, que "não aceitaremos intromissão nos assuntos internos de competência da diretoria".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.