Venezuela fecha fronteira com o Brasil na véspera das eleições presidenciais

O pleito ocorrerá em meio à grave crise econômica e humanitária pela qual o país passa, o que tem provocado aumento do fluxo migratório de venezuelanos para países vizinhos, entre eles, o Brasil

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

19 Maio 2018 | 14h44

Brasília  - A Venezuela fechou as fronteiras com o Brasil desde as 21 horas dessa sexta-feira, 18, até as 6 horas da próxima segunda-feira, 21, informou neste sábado o Ministério das Relações Exteriores. Segundo o Itamaraty, a informação sobre o fechamento repassada pela embaixada do Brasil em Caracas, capital do país vizinho. 

As fronteiras foram fechadas na véspera das eleições presidenciais na Venezuela, que estão previstas para este domingo, 20. O pleito ocorrerá em meio à grave crise econômica e humanitária pela qual o país passa, o que tem provocado aumento do fluxo migratório de venezuelanos para países vizinhos, entre eles, o Brasil.

+ Entenda como a economia da Venezuela entrou em colapso nos últimos anos

+ Na Venezuela, fome aumenta fidelidade ao chavismo

O atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é candidato à reeleição. Ele lidera as pesquisas de intenção de voto. A maioria dos opositores dele não poderá participar do pleito, pois estão presos, exilados ou não conseguiram registrar suas candidaturas. 

O Brasil e outros 11 países que compõem o chamado "grupo de Lima" fizeram, na última segunda-feira, 14, um apelo para que a Venezuela adie a eleição presidencial, por considerar que o processo é "ilegítimo" e "carece de credibilidade".

+ Crise na Venezuela faz com que dormir renda mais que trabalhar

Na avaliação do grupo, as eleições não devem ser realizadas porque "foram convocadas por uma autoridade ilegítima, sem a participação de todos os atores políticos venezuelanos, sem observação internacional independente e sem as garantias necessárias para um processo livre, justo, transparente e democrático". Colaborou Lu Aiko Otta 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.