Venezuela fecha partes da fronteira com a Colômbia

O governo venezuelano fechou parcialmente na noite de sábado sua fronteira com a Colômbia na tentativa de, segundo opositores do presidente Hugo Chávez, evitar que venezuelanos que vivem no país vizinho votassem a favor do referendo pedindo a destituição do presidente e de mais 33 deputados do governo.O vice-presidente Jose Vicente Rangel afirmou que o fechamento "seletivo" da fronteira ocorreu para impedir qualquer fraude eleitoral na região, como irregularidades detectadas relacionadas a cidadãos venezuelanos que vivem na Colômbia mas não estão registrados na junta eleitoral."Temos (governo) o pleno direito de decretar que a fronteira seja fechada num dado momento para impedir que, tanto cidadãos colombianos quanto venezuelanos não registrados, participem de nossos processos eleitorais", reforçou o vice-presidente. Rangel também ressaltou que o comércio entre os dois países está garantido durante o período. A reabertura da fronteira está prevista para terça-feira, um dia após o término do referendo.Restrições atingem aeroportos e heliportosAlém do bloqueio da fronteira, o governo venezuelano ordenou o fechamento dos aeroportos e heliportos privados do país como medida de segurança, para prevenir incidentes, segundo relatou o ministro da Defesa, José Luis Prieto. "Queremos evitar que helicópteros lancem granadas sobre as manifestações, interrompendo assim o ato político, o que já ocorreu em outras épocas", explicou Prieto, referindo-se a distúrbios ocorridos no ano passado. Ainda hoje, três pessoas foram detidas, duas com granadas de mão, nas regiões de Falcon, Trujillo e na capital do país.

Agencia Estado,

30 de novembro de 2003 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.