Venezuela forma comissão para investigar racismo

Ativistas venezuelanos e americanos comemoraram a instauração de uma nova comissão presidencial para investigar o racismo e outras formas de discriminação na Venezuela, um país que freqüentemente negligencia esses problemas. A comissão apontada por Hugo Chávez pretende prevenir e eliminar a discriminação racial no país. "É um ato histórico. O governo está reconhecendo que está é uma sociedade racista", disse o afro-venezuelano, Jesus Garcia, ativista e membro da nova comissão. Ele disse a repórteres que a discussão do racismo tem sido por muitos anos um tabu no país.A maioria dos venezuelanos têm herança racial mista, com raízes negras, índias e mestiças. Mas alguns críticos dizem que a sociedade venezuelana não reconhece seus problemas raciais.O ator americano Danny Glover foi convidado pelo governo venezuelano para o juramento da comissão. Glover, que é diretor da organização afro-americana TransÁfrica, disse que a comissão "é um importante compromisso para reverter a história e transformar as vidas daqueles que foram negligenciados". O ator já se encontrou com Chávez em várias ocasiões e disse que a idéia de formar uma comissão surgiu durante uma dessas reuniões. Segundo ele, a Venezuela está passando por uma "transformação admirável" em direção à justiça social sob o governo de Chávez, que estabeleceu programas de saúde e educação para comunidades carentes e marginalizadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.