Venezuela lança plano de emergência para conter surto de cólera

Ao menos 37 casos já foram confirmados e outras 452 pessoas também podem estar infectadas.

Claudia Jardim, BBC

27 de janeiro de 2011 | 19h03

A ministra da Saúde, Eugenia Sader, pediu cooperação das pessoas que foram à República Dominicana

O governo venezuelano lançou nesta quinta-feira um plano de emergência para evitar uma epidemia de cólera no país, após 37 pessoas terem sido diagnosticadas com a doença.

Segundo o Ministério da Saúde, os venezuelanos foram contagiados na República Dominicana. Outras 452 pessoas também podem estar infectadas pela bactéria.

Todos participaram, no fim de semana, de um casamento na República Dominicana e poderiam ter contraído a doença pela comida servida na festa.

"O risco de morte está controlado porque (as 37 pessoas) receberam cuidados médicos e os diagnósticos foram realizados a tempo", afirmou a ministra da Saúde, Eugenia Sader.

O "cerco" contra a doença inclui um maior controle no aeroporto internacional de Caracas na entrada de passageiros vindos da República Dominicana e do Haiti.

Desde quarta-feira, quando 20 casos haviam sido confirmados, o serviço de imigração pede a esses passageiros um formulário especial para que os serviços de saúde tenham facilidade de localizar a essas pessoas.

Apelo

O ministério de Saúde pediu a todos que viajaram à República Dominicana que compareçam a centros de saúde para testarem se estão infectadas pela bactéria.

"É importante, imprescindível, a cooperação de todas as pessoas que foram a este evento (casamento). Pedimos que busquem tratamento porque podem não ter sintomas, porém, ser portadores da bactéria", afirmou a ministra.

O governo disponibilizou um serviço telefônico especial de assistência às pessoas que tenham sido contagiadas e seus familiares.

"Está na mão de vocês. Cabe a vocês evitar que a Venezuela não sofra uma epidemia", enfatizou Sader. Há pelo menos 10 anos a Venezuela não registrava casos da doença.

De acordo com o governo, além dos doentes em Caracas, outros 12 venezuelanos contagiados permanecem na República Dominicana. Outras quatro pessoas contaminadas viajaram à Espanha, México e Estados Unidos, ainda de acordo com as autoridades.

A Colômbia, que compartilha uma fronteira de mais de 2 mil quilômetros com a Venezuela, também está em alerta. Caracas e Bogotá já discutem um possível plano conjunto para impedir que a doença se espalhe.

A bactéria da cólera migrou do Haiti, onde a epidemia já matou mais de 4 mil pessoas, para a vizinha República Dominicana. Neste país, uma pessoa morreu e outras 238 foram contaminadas pela doença.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.