Venezuela: Maduro critica ex-presidentes de México, Chile e Colômbia

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou os ex-líderes do México, Chile e Colômbia de dar apoio a grupos extremistas que tentam derrubá-lo do poder.

Estadão Conteúdo

25 de janeiro de 2015 | 18h56

Felipe Calderón, do México, Sebastián Piñera, do Chile, e Andrés Pastrana, da Colômbia devem participar neste fim de semana de um simpósio pró-democracia organizado por rivais de Maduro. Eles também devem tentar visitar o líder da oposição, Leopoldo Lopez, que está preso há quase um ano por liderar protestos contra o governo socialista.

Maduro, que luta para reconstruir a economia venezuelana em meio à inflação e escassez generalizada, disse que os três ex-presidentes têm "sangue em suas mãos" por apoiar seus adversários. Ele também acusou Calderón de ter ligações com traficantes mexicanos e chamou Piñera de defensor do ex-ditador chileno Augusto Pinochet.

"Vocês deveriam estar preocupados com a crise em seus países e não meter o nariz nos assuntos do povo venezuelano", disse Maduro disse em um evento comemorativo do aniversário do golpe de 1958, que derrubou o ditador Marcos Pérez Jiménez. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaMaduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.