Venezuela marca eleição para outubro de 2012

Antecipação em dois meses favoreceria Chávez, que teria uma campanha mais curta por causa do câncer

, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2011 | 00h00

CARACAS

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela confirmou ontem que as eleições presidenciais serão realizadas no dia 7 de outubro de 2012, acabando com os rumores de que a votação poderia ser antecipada para março.

"Nas últimas semanas, indivíduos que fazem parte de um grupo de agitadores tentaram confundir a opinião pública, colocando em dúvida a credibilidade do Poder Eleitoral", afirmou a presidente do CNE, Tibisay Lucena, sobre as especulações iniciadas pela imprensa. Na semana passada, o jornalista Nelson Bocaranda afirmou que a votação seria antecipada para março por determinação do governo.

Tradicionalmente, a votação presidencial é realizada no mês de dezembro. A presidente do CNE explicou que as eleições regionais serão realizadas em dezembro de 2012, e as locais em abril de 2013.

A decisão do CNE pode dar vantagem ao governo, já que o presidente Hugo Chávez, que enfrenta um câncer, teria uma campanha mais curta pela frente. A oposição, que decidiu realizar suas primárias para a escolha de um candidato único em fevereiro, teria menos tempo para convencer o eleitorado.

Recuperação. Chávez espera que a quarta aplicação de quimioterapia seja a última do ciclo de tratamento, para que ele esteja totalmente recuperado até o final do ano, em tempo para a campanha eleitoral para a presidência. O presidente disse ontem que vai realizar a campanha eleitoral no "ritmo que as circunstâncias lhe impuserem" e confirmou que pretende "fazer amplo uso de recursos tecnológicos e diferentes estratégias de acordo com as circunstâncias."

Chávez conta com um império midiático que lhe garante horas praticamente ilimitadas nas rádios e televisões do país e lhe dá vantagem sobre a oposição, cujos candidatos são pouco conhecidos.

Analistas políticos dizem que, embora os partidários de Chávez tenham se reunido em torno do líder durante sua doença, ainda é preciso esperar para ver se a saúde dele lhe permitirá retornar à corrida presidencial.

Desde que foi operado, em junho, Chávez aparece pouco em público. Ele dá poucos detalhes sobre sua saúde, não revela o tipo de câncer que lhe foi diagnosticado e combate os opositores que o criticam pela falta de informações médicas detalhadas. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.