Venezuela nega vínculo com Batasuna ou ETA

O vice-presidente da Venezuela, José Vicente Rangel, desmentiu quinta-feira rumores de um possível vínculo entre membros do gabinete do presidente Hugo Chávez com militantes do partido espanhol Batasuna ou da organização terrorista Eta. José Vicente Rangel respondeu a uma notícia publicada no jornal espanhol "El País", da última quarta-feira, sobre a suspensão das atividades do partido Batasuna pelo juiz Baltazar Garzón. Segundo Rangel, "o próximo passo será dizer que o governo venezuelano tem relações com Al-Qaeda". O jornal espanhol afirma existir nos documentos do Batasuna uma relação de viagens de membros da ETA à Venezuela para reuniões com membros do executivo venezuelano e dos principais partidos políticos. Há uma semana o deputado do partido Movimento ao Socialismo (MAS), que apoiou a candidatura de Hugo Chávez à presidência e passou posteriormente para a oposição, divulgou um vídeo onde supostos membros da ETA instruíam elementos dos Círculos Bolivarianos (compostos por simpatizantes do atual regime), no Estado de Vargas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.