Venezuela ordena intervenção de empresa de energia elétrica

Processo vai durar seis meses e pode ser prorrogado por mais seis

O Estado de S. Paulo,

07 de outubro de 2013 | 17h23

CARACAS - A Venezuela ordenou a intervenção da Sociedad Mercantil Corporación Eléctrica Nacional, S.A. (Corpoelec) - empresa de energia elétrica subordinada ao Ministério de Energia Elétrica - por um período de seis meses, segundo decreto publicado nesta segunda-feira, 7, no país.

Segundo a Gazeta Oficial de sexta-feira 4, o prazo da intervenção pode ser prorrogado por mais seis meses caso o ministro de Energia Elétrica considere necessário.

O decreto, citado pelo site do ministério, justifica a intervenção afirmando que houve um "crescimento excessivo" da demanda de energia elétrica na Venezuela, "muito superior às necessidades reais" e ainda maior "neste ano, diante da sabotagem nos serviços elétricos".

Segundo o documento, a intervenção da Corpoelec será responsabilidade de uma junta formada por um presidente e mais seis integrantes, que terão as atividades supervisionadas pelo vice-presidente venezuelano, Jorge Arreaza.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelaenergia elétrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.