AP Photo/Jose Luis Magana
AP Photo/Jose Luis Magana

Venezuela pede a Brasil que entregue 5 militares presos

Governo venezuelano acredita que eles estiveram envolvidos no ataque a um quartel; Itamaraty diz que militares irão solicitar refúgio no País

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2019 | 16h11

CARACAS - A Venezuela iniciou procedimentos para pedir que o Brasil entregue cinco militares venezuelanos localizados na fronteira, associados ao assalto de um destacamento da Força Armada, informou o ministro das Relações Exteriores Jorge Arreaza neste sábado. 

O governo de Nicolás Maduro começou a "ativar os procedimentos diplomáticos necessários para solicitar e facilitar a entrega desse grupo (...) para prestar contas", afirmou um comunicado divulgado por Arreaza. 

O documento considera "os cinco defensores do Exército" como "responsáveis materiais" pelo ataque ocorrido no domingo passado em uma unidade militar no Estado de mineração de Bolívar (sul da Venezuela), no qual um homem uniformizado foi morto e foram roubados fuzis de assalto e um lançador de granadas. Seis soldados foram presos. 

Maduro culpou os opositores treinados em "campos paramilitares" na Colômbia, apoiados por autoridades brasileiras e peruanas, acusações que esses países negam.

Refúgio

No sábado, o Itamaraty emitiu uma nota conjunta com o Ministério da Defesa em que diz que os militares "iniciarão os procedimentos para a solicitação de refúgio no Brasil, a exemplo de outros militares venezuelanos em situação similar".

Eles foram recebidos pela “Força Tarefa Logística Humanitária Operação Acolhida” após serem encontrados na reserva indígena de São Marcos, um vasto território no norte do Estado de Roraima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.