Venezuela pode sobretaxar aço, agro, calçados e têxteis

A Venezuela está novamente estudando a adoção de sobretaxas para importações com o objetivo de defender a pequena indústria, segundo o jornal El Nacional. As restrições atingiriam os setores agrícola, siderúrgico, automotivo, têxtil, de calçados, de plástico e de papel, segundo o jornal, que cita o chefe do serviço de impostos, Trino Alcides. Um plano semelhante, para reduzir as importações em 20%, foi anunciado no ano passado pela ministra da Produção e Comércio, Luisa Romero, que o revogou em seguida, voltou a anunciá-lo e mais uma vez o revogou. O plano recebeu fortes críticas dos empresários locais e parceiros comerciais, como a Colômbia. A Venezuela atualmente importa cerca de 70% de seus alimentos, sobretudo porque o bolívar valorizado torna os produtos locais pouco atraentes. As importações cresceram 11,6% - para US$ 17,28 bilhões em 2001. O PIB do país é de cerca de US$ 100 bilhões.

Agencia Estado,

16 Janeiro 2002 | 17h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.