Venezuela prende 58 estrangeiros

O ministro de Interior da Venezuela, general Miguel Rodríguez Torres, denunciou nesta sexta-feira um suposto complô internacional para mobilizar os protestos de rua dos últimos meses no país e anunciou que 58 estrangeiros foram presos recentemente sob suspeita de envolvimento nos planos, entre eles um norte-americano.

AE, Agência Estado

02 Maio 2014 | 18h09

O suspeito norte-americano foi identificado como Todd Michael Leininger. Ele foi preso na cidade de San Cristóbal. Policiais apreenderam com ele dois fuzis de assalto. Ainda não foram divulgados mais detalhes sobre as detenções nem sobre as nacionalidades de todos os suspeitos.

Mais cedo, autoridades da Venezuela disseram que apresentariam provas de que há uma organização por trás dos protestos violentos que tem ocorrido no país. O objetivo desse grupo seria derrubar o governo atual.

Acusados frequentemente pelo governo, oposicionistas negaram várias vezes que haveria tentativas de golpe, dizendo que as denúncias do governo servem para tirar o foco dos problemas enfrentados pelo país.

O alto crescimento da inflação e a intensificação da violência levaram vários venezuelanos às ruas do país nos últimos meses. A Procuradoria Geral da República venezuelana afirmou que pelo menos 41 pessoas, entre oposicionistas e defensores do presidente Nicolás Maduro, morreram durante protestos. Outras 674 ficaram feridas e 2.200 foram presas. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Venezuela protestos estrangeiros presos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.