Venezuela processa militares por conspiração

As autoridades militares da Venezuela abriram processos judiciais a pelo menos dois oficiais da Guarda Nacional por sua suposta relação com uma conspiração contra o presidente Nicolás Maduro informou nesta segunda-feira o advogado de um dos processados.

AE, Agência Estado

14 de abril de 2014 | 17h41

As ações judiciais afetam ao capitão da Guarda Nacional Juan Caguaripano e o capitão aposentado Juan Carlos Nieto Quintero indicou Alonso Medina Roa, advogado desse último.

Nieto Quintero foi preso no começo deste mês por membros da Direção Geral de Contra Inteligência Militar e permanece recluso na sede da Polícia Militar do Fuerte Tiuna, a oeste de Caracas. Ele é acusado de "instigação à rebelião" por supostamente trazer dos Estados Unidos uma mensagem do seu irmão, o também capitão aposentado Javier Nieto Quintero, para outros oficiais, disse Medina, assinalando que o militar foi vítima de tortura na prisão.

O diário local Últimas Notícias informou nesta segunda-feira que, segundo pessoas próximas ao governo, haveria ao menos 30 oficiais de diversos escalões sob investigação por suposta conspiração contra Maduro. Até agora, as autoridades não deram mais informações a respeito dessas detenções. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelamilitar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.