Divulgação/Miraflores/Efe
Divulgação/Miraflores/Efe

Venezuela proíbe uso da imagem de Chávez sem autorização

Entidades costumam usar desenhos mal-feitos do líder para mostrar apoio ao presidente

Will Grant, BBC

23 de novembro de 2010 | 16h42

O governo da Venezuela proibiu o uso da imagem do presidente Hugo Chávez em propagandas sem permissão prévia do líder.

O uso da imagem de Chávez em prédios públicos também foi proibido pelo novo decreto.

Entidades e organizações pequenas operando em nível local com frequência usam desenhos mal-feitos do presidente para mostrar seu apoio ao líder, em vez de material oficial.

As autoridades venezuelanas, no entanto, vão ter dificuldade em conseguir que a proibição seja respeitada.

Assim que você chega à Venezuela, é recebido pela imagem do presidente Chávez.

O rosto do líder enfeita milhares de outdoors, pôsteres e prédios em todo o país - normalmente, acompanhado de um slogan publicitário proclamando os resultados de suas reformas socialistas.

'Comandante'

Agora, o governo venezuelano quer retomar algum controle sobre a imagem do presidente.

A lei proíbe o uso do nome e imagem do presidente em "projetos de infraestrutura, construções, estabelecimentos educacionais ou prédios públicos de qualquer tipo" a menos que permissão expressa de Chávez tenha sido obtida previamente.

Líderes da oposição, há muito, criticam o que consideram ser uma apropriação dos espaços públicos para a instalação de murais pró-Chávez em Caracas e outras cidades.

No entanto, há pouca probabilidade de que a medida tenha sido tomada para agradar a oposição.

A justificativa dada para a lei é que o uso da imagem do presidente deve estar "sujeito a controles que permitam sua identificação como tal, no honroso papel de líder".

Entretanto, há poucas chances de que as dezenas de grupos de grafiteiros pró-Chávez, muitos deles financiados pelo governo, deixem de criar imagens do homem que chamam de "comandante".

 

 BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.