Venezuela restringirá atuação de petrolíferas estrangeiras

A Venezuela não vai mais negociar com petrolíferas estrangeiras a operação de quatro projetos de exploração de petróleo no cinturão do Rio Orinoco e "vai tomar o controle majoritário das operações", afirmou o ministro do Petróleo Rafael Ramirez nesta segunda-feira, 15.Ramirez disse aos repórteres que "não há negociação possível" com as companhias estrangeiras, mas acrescentou que as empresas privadas poderão ter participações minoritárias nos projetos. "Cada caso será diferente", disse. "Nós teremos efetivamente o controle majoritário."O governo estava negociando no ano passado com as empresas sobre seus planos de tomar o controle majoritário das operações de petróleo no país, mas nenhum acordo foi alcançado durante as negociações.Em um discurso ao Congresso na semana passada, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse que as companhias privadas estrangeiras - British Petroleum PLC, Exxon Mobil Corp.,Chevron Corp., ConocoPhillips Co., Total SA e Statoil ASA - receberam a proposta de ficar no país - desde que seja na posição de parceiros minoritários. Chávez - um dos maiores aliados do líder cubano Fidel Castro - também anunciou planos de nacionalizar companhias que atuam nas áreas de telecomunicações, eletricidade e gás. O governo venezuelano também já é proprietário majoritário das operações de extração de petróleo fora da região de Orinoco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.