REUTERS/Christian Veron
REUTERS/Christian Veron

Venezuelanos estão mais pobres e mais magros

Segundo estudo realizado pelas principais universidades do país, pobreza subiu para 87% em 2017

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2018 | 21h08

CARACAS - A pobreza subiu para 87% na Venezuela em 2017 (6,2 pontos a mais em relação a 2016), impulsionada pela hiperinflação, e os venezuelanos emagreceram em média 11,4 quilos com relação ao ano anterior, indicou um estudo divulgado nesta quarta-feira e realizado pelas principais universidades do país.

A Pesquisa Nacional de Condições de Vida revelou algumas das dificuldades enfrentadas pelos 30 milhões de habitantes da Venezuela, população afetada pela pior crise econômica de sua história.

“O indicador de pobreza está mostrando que é tão generalizada a disparidade entre o aumento dos preços e os salários no país que praticamente não há venezuelanos que não sejam pobres”, afirmou María Ponce, que participou da elaboração do estudo. 

A taxa de pobreza na Venezuela foi calculada levando em conta as condições de moradia, serviços, educação, trabalho e proteção social dos 6.188 lares consultados. Ainda de acordo com a pesquisa, em razão da hiperinflação, os venezuelanos foram forçados a mudar sua dieta, passando a comer menos ou até a pular as refeições. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.