REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Venezuelanos protestam em Roraima contra governo Maduro

Grupo pede ao governo brasileiros que intensifique a pressão contra o regime de Maduro

Fabrício Araújo / BOA VISTA, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2019 | 17h34

Cerca de 300 venezuelanos se reuniram nesta quarta-feira, 23, no centro de Boa Vista, capital de Roraima, para se manifestar contra a permanência de Nicolás Maduro na presidência da Venezuela. A concentração dos manifestantes começou por volta das 9 horas na Praça do Centro Cívico, em frente ao Palácio Senador Hélio Campos, sede do Governo do Estado. 

O ato foi organizado através das redes sociais com a intenção de pedir aos governantes brasileiros que intensifiquem a pressão sobre o governo da Venezuela e em apoio aos protestos que estão ocorrendo na Venezuela.

Em Roraima, os venezuelanos exibiram cartazes e a bandeira do país pintada no rosto, além de cantarem músicas de protesto e gritos de ordem contra Maduro. De acordo com um dos organizadores, Leandro Argüello, amigos e parentes que ainda estão na Venezuela comentam que a situação na Venezuela está muito tensa, mas a população perdeu o medo de lutar por melhores condições de vida.

“Este governo está no poder com apenas um pequeno grupo de apoio da população. Quase 90% está contra este governo. É uma usurpação, Maduro foi eleito de maneira ilegal. A população não reconhece Maduro como presidente”, declarou Leandro. “A maioria do povo quer tirar Maduro do governo porque já não aguenta mais”, completou.

Um dos manifestantes, Franciovy Hernández, informou que era o secretário-geral do partido Primeiro Justicia e foi eleito vereador na eleição passada, mas teve de fugir do país à procura de tratamento médico para sua mulher e por perseguição política, já que promovia a oposição ao regime.

“Temos um governo ditatorial, autoritário, que quem pensa e fala é extinto porque é preso ou assassinado. Sempre fui ameaçado por este governo porque sempre fui posição”, declarou Hernández.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.