Venizelos assume liderança do Partido Socialista

O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, torna-se oficialmente, neste domingo, o líder do Partido Socialista (Pasok) substituindo o ex-primeiro-ministro George Papandreou, em votação feita no país. O procedimento foi, em grande medida, uma formalidade depois que Venizelos emergiu, no início do mês, como o único candidato para a posição.

AE, Agência Estado

18 de março de 2012 | 18h24

A participação na votação interna do partido foi maior do que era esperado, com votos de mais de 200 mil socialistas. Segundo os resultados parciais, com 30% dos votos contados, 96% daqueles que participaram nas eleições votaram em Venizelos.

"Uma relação de confiança foi restabelecida para um novo começo do partido", disse Venizelos, depois que a primeira pesquisa de boca de urna foi anunciada. "Com presença impressionante para este período, membros e amigos do Pasok não quiseram simplesmente apoiar o novo presidente do movimento. Eles quiseram enviar uma forte mensagem: que nosso objetivo de vencer as eleições (parlamentares) é possível".

Venizelos, de 55 anos, assumiu a liderança do partido que controla 131 das 300 cadeiras no parlamento Grego, em um momento em que os níveis de popularidade estão em baixas históricas, e enfrenta a tarefa de superar estes números na próxima eleição parlamentar.

Segundo a pesquisa mais recente, o Partido Socialista está em quinto lugar com 11% das intenções de votos, enquanto os rivais da Nova Democracia continuam liderando a opinião pública, com 25%.

Agora, espera-se que Venizelos renuncie, nos próximos dias, ao cargo de ministro das Finanças, com objetivo de se dedicar às eleições parlamentares.

Embora ainda nenhuma data tenha sido marcada, a Grécia deve ter eleições nas próximas semanas, sendo as datas mais prováveis 29 de abril ou 6 de maio.

Entre os nomes cotados para o Ministério das Finanças estão o primeiro-ministro, Lucas Papademos, o vice-ministro das Finanças, Filippos Sachinidis, e o ministro do Interior, Tasos Giannitsis.

"Não posso continuar com um papel duplo. Uma vez assumidas minhas responsabilidades como líder do maior partido no parlamento, eu terei de me dedicar a estas tarefas", afirmou Venizelos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaVenizelosPartido Socialista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.