Ventos, frio intenso e neve açoitam o nordeste dos EUA

Uma tormenta de inverno, com ventos fortes, temperaturas frígidas e neve, castiga o nordeste dos Estados Unidos, hoje, causando acidentes de trânsito e um pondo em risco a vida de pessoas.As temperaturas médias se mantém a 12 graus centígrados abaixo de zero sem esperança de alívio próximo. Em Waterton, Estado de Nova York, registrou-se a mínima de 35 graus abaixo de zero, agravada por uma sensação térmica de ?43. O governador do Maine, John Baldacci, declarou estado de emergência assim que os termômetros atingirem, no dia anterior, 35 a 45 graus abaixo de zero. As nevascas mais intensas aconteceram no centro-norte do país, de Minnesota a Michigan, com tempestades provocadas por ventos intensos. Além de acidentes de trânsito, a neve alterou os planos de políticos em campanha. O congressista Dick Gephardt, aspirante a candidato presidencial democrata, por exemplo, deveria participar de um evento em Burton, Michigan, mas depois de seu avião passar 45 minutos dando voltas no ar, desistiu.Em Nova Jersey, registraram-se dezenas de acidentes de trânsito leves em estradas e pontes cobertas de neve e gelo. Embora tenha parado de nevar, o vento levanta nuvens de neve porosa.As previsões são de que o frio intenso continuará durante o fim de semana. As empresas de serviços públicos enfrentam uma onda de reclamações por danos causados pelas tempestades.Às 7 da manhã, Nova York e arredores estavam cobertos por uma capa de até 15 centímetros de neve, disse a meteorologista Adrienne Leptich. E a previsão é de temperaturas mais baixas depois da nevada, com ventos fortes e sensação térmica de 29 graus abaixo de zero.?Quem não se protegeu adequadamente da intempérie perceberá em cinco minutos?. Disse Leptich. ?Seu rosto perderá a sensibilidade.?Segundo a meteorologista, o ar frio do Ártico provocou a queda na temperatura, o que, conforme lembrou, sempre ocorre nessa época, principalmente no ano passado.?Janeiro é o mês mais frio do ano e época em que esses fenômenos acontecem?, acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.