Verba dos EUA foi usada até para assinatura de TV pornográfica

Parte do dinheiro entregue pelos EUA para a polícia antinarcóticos da Colômbia foi desviado para a compra de livros escolares, para o combate à praga da manga e para a assinatura de canais de TV pornográficos, denunciou hoje a rede de TV colombiana RCN. A denúncia consta de um documento da Embaixada dos EUA em Bogotá e causou a demissão, em maio, de aproximadamente 20 policiais, incluindo o chefe da divisão antinarcóticos, general Gustavo Socha. Na quarta-feira, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, substituiu o chefe da Polícia Nacional, Luis Ernesto Gilibert, pelo general da reserva Teodoro Campo. Entre os "gastos infrutíferos", o documento inclui também equipamentos de informática comprados pelo dobro do preço de mercado e peças para reparo de motocicletas e automóveis de luxo confiscados de narcotraficantes. A investigação constatou que os gastos ultrapassam US$ 2 milhões, em compras fracionadas para que nenhuma fatura ultrapassasse o limite de US$ 2.500. A denúncia se tornou pública um dia depois de a Controladoria da Colômbia - organismo de controle fiscal do governo ? ter enviado um relatório a Uribe informando sobre a malversação de fundos do Plano Colômbia. O relatório também informou que os resultados obtidos pelo plano antidrogas financiado pelos EUA foram pífios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.