Verba para a guerra é dívida com soldados, diz Bush

Incitando a oposição democrata a ampliar a missão dos Estados Unidos no Iraque sem estabelecer um prazo para o retorno das tropas, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta segunda-feira, 15, que os legisladores "devem" a aprovação do projeto aos veteranos da guerra."Escutem, eu entendo que os republicanos e democratas em Washington tem visões diferentes sobre a melhor maneira de conduzir a guerra no Iraque", disse Bush em pronunciamento na Casa Branca. "Isso é saudável. É normal, e devemos debater essas diferenças. Mas nossos soldados não devem se pegos de surpresa."Rodeado por familiares de veteranos, Bush procurou criar expectativa para seu encontro com os líderes dos dois partidos no Congresso previsto para a próxima quarta-feira, 17. Em particular, ele tentou pressionar os democratas a aprovar o financiamento para a guerra sem tentar limitar ou reduzir a missão militar no país árabe."É isso o que devemos fazer: discutir nossas diferenças para chegar a um acordo", disse o presidente referindo-se ao encontro da próxima quarta. "Estou ansioso pela reunião. Espero que a liderança democrata desista de seu pedido pouco razoável por uma retirada precipitada."Nas últimas semanas, tanto a Câmara dos Representantes (deputados) quanto o Senado aprovaram leis que vinculam a liberação das verbas para a guerra ao estabelecimento de um cronograma para retirada. As duas casas devem discutir essa semana a versão final do texto, que será enviada para a aprovação presidencial. Bush prometeu vetar a lei caso os legisladores mantenham uma data para a retirada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.