Verdes deixam negociações de coalizão com Merkel

Os partidos conservadores que apoiam a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, terão que negociar a coalizão com o maior partido de oposição, o Partido Social Democrata (SPD), já que o Partido Verde disse que não vê um terreno comum suficiente para formar um novo governo estável.

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2013 | 23h02

A decisão veio depois de uma reunião de mais de 7 horas entre os membros da União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão) de Merkel e seu parceiro, a União Social Cristã (CSU), e os Verdes. A reunião foi marcada por uma atmosfera amigável, mas o desacordo sobre muitos assuntos, incluindo a demanda dos Verdes para introduzir um salário mínimo obrigatório e aumentar os impostos para os ricos, foi determinante para o posicionamento dos Verdes.

"Houve uma tentativa sincera de construir ligações entre os partidos, mas temos que dizer que acreditamos que estas ligações não são suficientemente estáveis para durar quatro anos", afirmou Cem Oezdemir , presidente dos Verdes

O secretário-geral do partido de Merkel, Hermann Groehe, disse que os conservadores não vão continuar as negociações com os Verdes e afirmou que os partido que apoiam Merkel estão em contato com os membros do SPD para tentar estabelecer um governo de coalizão.

A coalizão de Merkel terminou em primeiro lugar nas eleições do mês passado. No entanto, eles precisam de um parceiro para conseguir uma maioria no parlamento após o parceiro de coalizão, os Democratas Livres, não conseguirem atingir o mínimo de votação para entrar no parlamento.

Os membros do CDU, CSU e SPD devem se encontrar novamente nesta quinta-feira para mais negociações exploratórias antes de decidirem se querem ou não entrar em negociações para coalizão formais. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
alemanhacoalizãomerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.