EDDY LEMAISTRE / EFE
EDDY LEMAISTRE / EFE

Veredicto de Strauss-Kahn será conhecido em junho

No último dia do processo, antes da decisão da corte, o economista e politico tomou a palavra para se defender das acusações

O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2015 | 16h25


PARIS - O Tribunal responsável pelo julgamento do ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn encerrou o caso nesta sexta-feira, 20, e determinou que a sentença será dada apenas em 12 de junho.

No último dia do processo antes da decisão da corte, Strauss-Kahn tomou a palavra para se defender das acusações.

Tudo indica que o economista e político socialista não será condenado, depois que a promotoria recomendou sua absolvição.

Junto a DSK, como é conhecido na França, estão sendo julgados no "caso Carlton" (nome do hotel em Lille onde ocorriam as supostas orgias com prostitutas) outras 13 pessoas, que podem pegar até dez anos de prisão e multas de um milhão e meio de euros.

O julgamento começou em 2 de fevereiro e ouviu as prostitutas envolvidas nas orgias relatarem as práticas sexuais a que eram submetidas pelo ex-diretor do FMI.

A defesa de Strauss-Kahn, por sua vez, alegou que essas orgias eram "festas libertinas" de troca de casais e que o acusado não estava ciente que as mulheres cobravam pelos serviços. / EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaDominique Strass-Kahn

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.