Veto francês torna guerra mais provável, diz Blair

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, disse que uma segunda resolução sobre o Iraque é "agora menos provável, do que em qualquer outro momento", segundo relatou o líder da oposição conservadora, Ducan Smith. Segundo ele, o primeiro-ministro disse que uma ação militar é mais provável diante da ameaça de veto francês. As declarações foram concedidas na TV, após encontro de emergência com Blair. A França tornou-se "completamente intransigente e literalmente ameaçou vetar qualquer coisa apresentada pelos EUA no Conselho das Nações Unidas", disse Blair, segundo Smith. O líder acrescentou: "isto significa que as nações não-alinhadas estão achando difícil tomar uma decisão, porque será vetada de qualquer maneira". "Isto essencialmente indica que uma ação militar torna-se mais provável". ?Proposta britânica autoriza guerra?, conselheiro alemãoA Alemanha informou que é pouco provável que haja um comprometimento do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas em torno da nova proposta de resolução apresentada ontem pela Grã-Bretanha, que estabelece condições sobre o desarmamento do Iraque. "A proposta britânica, basicamente, autoriza uma guerra", disse Bernd Muetzelburg, o conselheiro para segurança nacional do chanceler Gerhard Schröder. A Alemanha, membro não-permanente do Conselho de Segurança, insiste que ainda não chegou o momento de se autorizar uma ação militar no Iraque e defende um prazo mais elástico para que os inspetores da ONU realizem o trabalho de desarmamento de Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.