AE
AE

Viagem da blogueira cubana Yoani Sánchez consolida lei migratória

Colunista do 'Estado', uma das primeiras a se beneficiar da nova regra e conhecida dissidente do regime da ilha, vem ao Brasil neste mês; nesta quinta-feira, ativista se apresenta no evento 'Conversa com Yoani', na sede do 'Estado', em São Paulo

O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2013 | 02h03

A viagem que a blogueira cubana e colunista do Estado Yoani Sánchez começa amanhã pelo Brasil marca uma das principais reformas já aplicadas pelo governo do presidente Raúl Castro nos últimos anos. Uma das mais conhecidas dissidentes do regime da ilha, a ativista beneficia-se da mudança na Lei de Migração do país socialista, que desde 14 de janeiro simplifica para os cidadãos de Cuba os trâmites para viajar ao exterior.

Yoani tem a partida de Havana prevista para hoje e deverá chegar ao Recife no início da madrugada de amanhã. No Brasil, ela terá uma agenda intensa, entre palestras, debates e encontros com a imprensa. Na quinta-feira, a ativista se apresenta no evento "Conversa com Yoani", na sede do Estado, em São Paulo.

Depois de ter vivido na Suíça entre 2002 e 2004, Yoani nunca mais tinha conseguido deixar a ilha, até que a reforma na legislação migratória começou a vigorar em janeiro. Yoani afirma que começou a tentar deixar Cuba em 2008, quando foi laureada pelo diário espanhol El País com o Prêmio Ortega y Gasset de Jornalismo. No ano anterior, ela havia começado a chamar a atenção das autoridades cubanas, publicando desde Havana suas impressões críticas ao regime castrista e às condições de vida de seus concidadãos, no blog Generación Y.

As autoridades cubanas proibiram a saída da ativista, que ganhou vários outros prêmios internacionais relativos à liberdade de expressão, 20 vezes desde então. Em todas as ocasiões, a blogueira havia conseguido vistos dos países que pretendia visitar, assim como as chamadas "cartas-convite", que o governo da ilha exigia para os cidadãos que pretendessem deixassem o país.

Foi justamente por ter tantas autorizações para entrar em outras nações registradas em seu passaporte que Yoani não pôde deixar a ilha imediatamente após a publicação da nova legislação migratória. Ela teve, então, de pedir às autoridades cubanas a emissão de um novo documento, que já está repleto de vistos.

Além do Brasil, a cubana planeja visitar mais de dez países nos próximos meses.

Agenda - Depois de aterrissar no Recife, Yoani deverá seguir para Feira de Santana, na Bahia, onde participará da exibição do documentário Conexão Cuba Honduras - no qual é entrevistada -, do cineasta Dado Galvão, ainda na segunda-feira.

No dia seguinte, após um encontro com a imprensa de manhã, Yoani será levada para uma visita ao centro da cidade baiana. Quando aceitou vir ao Brasil, Yoani tinha declarado que pretendia conhecer o modo de vida dos brasileiros, conversando com a população. Durante a tarde, ela deverá participar de uma sessão de autógrafos de seu livro De Cuba, com Carinho, publicado no Brasil pela Editora Contexto. Na quarta-feira, Yoani tem prevista uma visita a Salvador, onde deverá conhecer o Farol da Barra e o Pelourinho, antes de embarcar para São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Yoani SánchezCuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.