Viagem não melhorou confiança em Obama, diz pesquisa

A badalada viagem do candidatodemocrata Barack Obama ao exterior aparentemente não aumentou aconfiança do eleitorado em sua capacidade de presidir os EUA --na verdade, pode até ter dado ânimo aos seguidores dorepublicano John McCain, segundo pesquisa USA Today/Galluppublicada na terça-feira. O levantamento com 1.007 adultos, feito entre sexta edomingo, mostrou um aumento no provável eleitorado republicanoem comparação há um mês, e uma profunda divisão do país quantoa um cronograma para retirar as tropas do Iraque. A vantagem de Obama sobre McCain entre os eleitoresregistrados, que era de 6 pontos percentuais em junho, caiupara 3 (47-44). Entre os eleitores que dizem ter a intenção deefetivamente votar em novembro, McCain agora vence por 49-45por cento, revertendo a vantagem de 5 pontos que Obama tinha nomês passado. A margem de erro é de 4 pontos percentuais em ambas aspesquisas. De acordo com o USA Today, a maioria dos entrevistados achaque Obama se sairia melhor do que McCain lidando com os outrospaíses. Mas 41 por cento não o consideram preparado para ser ocomandante-chefe das forças norte-americanas -- númeropraticamente igual aos 40 por cento de junho, antes que Obamapassasse 10 dias na Europa e no Oriente Médio para demonstrarsuas credenciais diplomáticas. A viagem dele foi elogiada por 35 por cento dosentrevistados e criticada por cerca de 25 por cento. Outros 38por cento disseram não ter opinião a respeito. Seis em cada dez republicanos acham que a viagem mereceuuma cobertura "injustamente positiva" da imprensa. (Reportagem de David Morgan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.