Vice-chefe do CNT líbio renuncia em meio à crise

O vice-chefe do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, Abdel Hafez Ghoga, renunciou ao cargo hoje em protesto contra a suspensão de seis integrantes do CNT, que ocorreu também neste domingo, e foi feita pelo chefe do Conselho, Mustafá Abdel Jalil. Todos os seis suspensos são de Benghazi, cidade onde começou a rebelião seguida de guerra civil que levou ao fim do regime de Muamar Kadafi, no ano passado.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2012 | 16h39

No sábado, manifestantes de Benghazi acusaram o CNT ser de lento em realizar reformas políticas e também de corrupção. Vários manifestantes chegaram a invadir o escritório do CNT em Benghazi, jogando cadeiras, mesas e computadores pelas janelas. Essa invasão ocorreu quando Abdel Jalil estava no escritório, mas ele nada sofreu. Neste domingo, Abdel Jalil disse que indicará um conselho de líderes tribais e religiosos para investigar as acusações de corrupção.

Além de Ghoga, outro membro graduado do CNT, Fathi Baja, ameaçou deixar o governo. Baja disse que permanecerá no CNT de Benghazi apenas se a população da cidade pedir que o faça e criticou o fato de Abdel Jalil ter nomeado religiosos para uma investigação de corrupção. "Quando Kadafi governava os religiosos pediam ao povo que obedecesse o líder".

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
renúnciaLíbiaAbdel Hafez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.